Quais os 3 tipos de alimentos que devemos evitar?

Várias vezes você já deve ter se perguntado quais os tipos de alimentos que devemos evitar, quando nosso objetivo é ter uma vida mais saudável?

Veremos nesse artigo algumas dicas para que você consiga identificar facilmente alimentos que não fazem bem para a sua saúde, e você conseguirá começar agora mesmo uma alimentação mais sadia somente ao evitar a ingestão dessas comidas. Além disso, verá que  não é apenas cessar a ingestão dos ingredientes: gordura, óleo, açúcar e sal. 

Precisamos estar mais atentos, pois o mercado está cheio de produtos aparentemente saudáveis para nos oferecer, mas que na realidade não são o que parecem.

Como identificar alimentos não saudáveis  

Antes de pensarmos em quais comidas devemos evitar, precisamos aprender a identificar e entendermos o porquê de tais conjunto de nutrientes não ser considerado saudável. Vários são os alimentos que fazem mal para a nossa saúde e não é mistério para ninguém que muitas vezes o risco e maleficidade da comida está quando ingerida em excesso. 

Sal, açúcar, óleos e gorduras, são ingredientes que contribuem, no paladar de muitas pessoas, para tornar mais saborosa a alimentação, mas que contêm alto teor de alguns nutrientes que podem ser prejudiciais à saúde quando consumidos sem moderação.

Quer conhecer e entender, porque esses ingredientes fazem tão mal quando consumidos em excesso? Confira abaixo:

Sal

Pesquisas comprovaram que o consumo excessivo do sódio contido no sal pode provocar doenças como insuficiência renal, acidentes vasculares cerebrais (AVC, ou derrame) e hipertensão.

Apesar do sal não ser o responsável pela construção de gordura no corpo, esse alimento pode não só influir diretamente na alteração da pressão arterial, quando consumido em excesso, como também potencializar a retenção de líquido no corpo, que pode causar inchaço, celulite e estrias.

E aí vai uma dica de ouro: o ideal é diminuir a sua quantidade e substituir o sal por outras especiarias, tais como o gengibre e o manjericão. E para saber onde e como conseguir manjericão e diversas outras ervas e especiarias de forma prática conheça a Brota.

Óleos e gorduras

O excesso de gorduras saturadas também aumenta significativamente o risco de doenças cardíacas, entupimento das veias do coração e obesidade. Óleos e gorduras têm seis vezes mais calorias por grama do que o arroz, o feijão e outros grãos e vinte vezes mais do que os legumes e as verduras. O que podemos concluir é que óleos e gorduras possuem alta densidade calórica, ou seja muitas calorias em pouco volume, e ingerir calorias acima do que você precisa faz com que você engorde.

Mas cuidado, nem todo óleo e gordura são vilões, as gorduras “ruins” são encontradas em sua maioria em frituras, sobretudo naqueles alimentos salgados que são cozidos a base de óleos. Esse tipo de alimento promove o acúmulo da gordura no corpo.Nesse sentido, procure evitar tais alimentos e optar por alimentos que possuem gorduras “boas”, como abacate e óleo de coco.

Açúcar 

Além disso, devemos evitar o consumo do açúcar que pode facilitar o aparecimento de problemas que vão da cárie dentária à obesidade e ao diabetes. O açúcar possui de cinco a dez vezes mais calorias do que a maioria das frutas,e como já explica acima o consumo exagerado de calorias pode fazer mal.

Uma dica valiosa quanto a esse alimento é: Quanto mais refinado é o açúcar, maior o índice glicêmico e consequentemente maior a velocidade de aumentar os níveis de glicose na corrente sanguínea, que pode causar excesso de urina e vontade frequente de urinar e por consequência, aumento da sede. E até complicações mais graves como a retinopatia (problema ocular); neuropatia (problema nos nervos); angiopatia (problema nos vasos sanguíneos)

Existem processos diferentes do mesmo açúcar, tais como açúcar cristal, açúcar demerara e até o açúcar mascavo, sendo este último praticamente um açúcar integral, e sendo o de melhor escolha.

Os 3 tipos de alimentos que devemos evitar

Agora que você já viu como identificar um ingrediente não saudável, e viu que seu malefício está relacionado muitas vezes ao excesso de ingredientes como sal, açúcar, óleos e gorduras, podemos falar  quais os tipos de alimentos no supermercado tem esse excesso e devemos evitar. Veja só:

1. Alimentos processados

São aqueles fabricados pela indústria com a adição de sal, açúcar ou outro produto que torne o alimento mais durável, palatável e atraente. 

São os casos das conservas em salmoura (cenoura, pepino, ervilhas, palmito), compotas de frutas, carnes salgadas e defumadas, sardinha e atum em latinha, queijos feitos com leite, sal e coalho e pães feitos de farinha, fermento e sal. 

Por terem adição de sal, gordura e açúcar podem fazer parte do prato desde que em pequenas quantidades e como parte uma refeição baseada em alimentos in natura e minimamente processados, a primeira categoria são aqueles obtidos diretamente de plantas ou de animais para o consumo sem que tenham sofrido qualquer alteração.  Entram nesta categoria folhas, frutas, verduras, legumes, ovos, carnes e peixes.
Alimento-ultraprocessado-hamburguer-batata-frita

2. Alimentos ultra processados

São formulações industriais, em geral, com pouco ou nenhum alimento inteiro. Esse tipo de alimento sempre contém aditivos, que são qualquer ingredientes adicionados intencionalmente aos alimentos, sem propósito de nutrir, com o objetivo de modificar as características físicas, químicas, biológicas ou sensoriais, durante a fabricação, processamento, preparação, tratamento, embalagem e etc.

Podemos ter como exemplos os biscoitos, geleias, sorvetes, chocolates, molhos, misturas para bolo, barras energéticas, sopas, macarrão e temperos instantâneos, salgadinhos chips, refrigerantes, produtos congelados e prontos para aquecimento como massas, pizzas, hambúrgueres e nuggets. 

Pegando um exemplo entre esses alimentos:o refrigerante. Sabemos que é um produto não saudável e você provavelmente sabe disso também. Porém, a verdade é que ele pode ser mais perigoso do que pensa. Os refrigerantes possuem conservantes, corantes, excesso de sal e açúcar, além de serem altamente ácidos.

De maneira geral, a bebida não possui nenhum valor nutricional, e ainda é muito calórica. A alta ingestão de refrigerantes está diretamente ligada à obesidade, diabetes, o enfraquecimento dos ossos, aumento da pressão arterial e até mesmo a problemas nos rins.

3. Alimentos embutidos

Um dos maiores perigos dos alimentos embutidos está em conter nitrito e nitratos. São substâncias usadas para conservação dos alimentos e estão presentes também nos enlatados. 

Essas substâncias, no nosso estômago se transformam em nitrosaminas, substância que cientificamente é comprovada como cancerígena se consumida de forma contínua e abundante. Ou seja, se você comer 1 cachorro-quente uma vez por ano não vai te fazer mal, mas se for comer sempre substituindo o jantar, por exemplo, certamente estará aumentando as chances de um câncer.

Além da relação com o câncer, o alto teor de sódio é um dos problemas mais citados desse tipo de alimento, e eles não só podem ser nocivos às pessoas portadoras de hipertensão e sim para qualquer pessoa. Aumentam a pressão, causam retenção hídrica, entre outros diversos problemas.

Portanto, evite salsichas, linguiças, mortadela, presunto e afins. Prefira o peito de peru ou blanquet na versão light, mas não faça disso um hábito diário.

Dica extra: Descasque mais e desembale menos

Muitas vezes nesses alimentos processados, ultra processados e embutidos encontramos mais de 30 ingredientes, a maioria deles aditivos químicos. 

Com isso muitos nutricionistas costumam dizer que se um produto tem muitos nomes estranhos que não reconhecemos quando lemos, então é preciso evitar o consumo excessivo desse tipo de produto e valorizar a comida de verdade, em que reconhecemos os alimentos e ingredientes. Por isso, vamos descascar mais e desembalar menos.

Além disso, experimente colocar apenas uma colher de açúcar no café ou suco, prefira alimentos assados ou cozidos no local dos fritos e use menos sal em sua salada e no preparo dos pratos, prefira ervas e temperos frescos para adicionar sabor à refeição. 

E para te ajudar com o primeiro passo em caminho aos temperos frescos em casa, conheça a mini horta inteligente, orgânica e domiciliar da Brota. Com ela você conseguirá ter todos os temperos que desejar de forma fácil e prática.

Conheça aqui a Brota e saiba mais sobre ela!

Não esqueça de nos falar o que achou desse artigo, aqui nos comentários.

Deixe um comentário

Os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados